Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2021

Tecnologia quântica livre de radiação pode ser possível com o grafeno

Imagem
Uma das propriedades mais notáveis dos compostos de terras raras é o surgimento de estados supercondutores e, particularmente, os estados supercondutores necessários para construir futuros computadores quânticos. Embora esses compostos de terras raras específicos, conhecidos como supercondutores de férmions pesados sejam conhecidos há décadas, fazer deles tecnologias quânticas utilizáveis ​​continua sendo um desafio. Isso ocorre porque esses materiais contêm compostos altamente radioativos, como urânio e plutônio, tornando seu uso limitado no mundo real. Uma nova pesquisa revelou um caminho alternativo para projetar os fenômenos fundamentais desses compostos de terras raras apenas com o uso de grafeno, que não possui problemas de segurança destes compostos. O resultado empolgante do novo artigo mostra como um estado quântico conhecido como "férmion pesado" pode ser produzido pela combinação de três camadas torcidas de grafeno. Um férmion pesado é uma partícula - neste caso, u

Medalhas das Surdolimpíadas 2022 são feitas com grafeno

Imagem
Os Jogos Olímpicos para Surdos é um dos mais importantes eventos esportivos mundiais, que tem sua origem no ano de 1924, quando foi realizada a primeira edição. Será a primeira vez de um país da América Latina como sede da competição. Na tarde desta quarta-feira (17/11), o auditório da CIC (Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul) foi palco do evento de lançamento e apresentação das medalhas das Surdolimpíadas de verão 2021, maior evento poliesportivo da história do Rio Grande do Sul, que reunirá mais de 6 mil atletas de quase 100 nações diferentes, em Caxias do Sul, de 1º a 15 de maio de 2022. Todas as medalhas oficiais das Surdolimpíadas 2021 foram confeccionadas em Caxias do Sul. Cada uma pesa 412 gramas. A confecção das medalhas se deu por meio da utilização de Zamac, um liga de zinco, alumínio, magnésio e cobre de alta qualidade. Em seu processo produtivo, além do verniz decorativo, utilizou-se o grafeno como aliado para garantir maior resistência e proteção cont

17/11 4ª Revolução Industrial vem exigindo formação multidisciplinar

Imagem
O diálogo entre tecnologia e demais áreas do conhecimento foi apontado por especialistas como uma competência importante para os profissionais da chamada indústria 4.0, ou quarta revolução industrial. O conceito envolve a aplicação de tecnologia de dados e de automação para aumentar a eficiência e a produtividade nas empresas. Para especialistas, é necessário que profissionais da área de humanas e da saúde dialoguem com engenharia de dados e computação aplicada. Isso porque, além de compreender a linguagem técnica necessária para manejo da tecnologia, será preciso aplicar conhecimentos específicos de cada área ou empresa. De acordo com levantamento feito pela Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), até 2024, a procura por profissionais na área de tecnologia da informação será de 420 mil pessoas. No entanto, segundo a entidade, o Brasil forma 46 mil profissionais da área por ano. Já uma pesquisa do Sesi (Serviço Social da Indústria) e do Senai (Serv

Grafeno pode ajudar a controlar temperatura em prédios inteiros

Imagem
Engenheiros da Universidade Duke, nos EUA, desenvolveram um material inteligente que consegue alternar entre aquecimento e resfriamento em menos de dois minutos. O dispositivo pode coletar o calor da luz solar em um ambiente externo e, logo em seguida, permitir que um objeto esfrie. O sistema inovador criado pelos pesquisadores utiliza uma tecnologia parecida com a empregada em vidros eletrocrômicos convencionais, capazes de mudar de cor ou de opacidade em tempo real, quando estímulos elétricos são aplicados em filmes com eletrodos condutores entre uma camada e outra. Para superar os desafios de criar um dispositivo com superfícies de eletrodos que conduzissem eletricidade e fossem transparentes tanto para luz visível quanto para radiação térmica, os pesquisadores usaram filmes de grafeno com um átomo de espessura e uma fina camada de ouro por cima. Quando as minúsculas partículas do metal são colocadas a apenas nanômetros de distância umas das outras, elas captam comprimentos de onda

Brasil lança a primeira bateria feita com nióbio que promete revolucionar mercado mundial de cargas pesadas

Imagem
 As gigantes mundiais Volkswagen Caminhões e Ônibus – VWCO e a CBMM – Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração se uniram com a missão de criar a super bateria feita com Nióbio. As multinacionais fecharam um acordo para desenvolverem e produzirem super baterias para veículos elétricos de grande porte, utilizando o metal abundante no Brasil. Com elas os automóveis serão recarregados em menos de dez minutos e terão maior autonomia. A solução pode colocar o Brasil em posição de destaque no segmento ao unir a CBMM, empresa que trabalha no desenvolvimento de novas tecnologias, e a Volkswagen, responsável pelo funcionamento dessas baterias em cada veículo. De acordo com o vice-presidente da CBMM, Ricardo Lima, a bateria de está sendo desenvolvida há três anos numa parceria com a japonesa Toshiba. “Pela primeira vez estamos implementando esta solução que, devido ao uso do óxido de Nióbio no ânodo da bateria, permitirá uma operação de carregamento ultrarrápido, em menos de 10 minutos, mai