Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2021

Grafeno pode revolucionar o funcionamento de computadores quânticos

Imagem
Um artigo publicado por cientistas da Finlândia aponta a descoberta de um novo tipo de detector quântico composto de grafeno, que seria capaz de atingir alto grau de medição de radiação, possibilitando maior precisão na leitura de bits quânticos.  Conhecido como bolômetro, ele é capaz de medir com mais precisão o estado de um ‘qubit’ do que as alternativas anteriores, que dependiam de medições de voltagem e geravam interferências na medição. Uma das dificuldades dos computadores desse tipo é que a sua operação é instável.  Ainda existem outros desafios para seu funcionamento pleno, todavia, essa nova descoberta pode representar mais um passo para a chegada dos computadores quânticos. Um computador quântico tira proveito de alguns dos fenômenos quase místicos da mecânica quântica para obter grandes aumentos no poder de processamento. Eles prometem superar até os mais capacitados dos supercomputadores de hoje – e de amanhã. O segredo do poder de um computador quântico está em sua capacid

Aumento de produtividade com uso de dados confiáveis na indústria

Imagem
No contexto de transformação tecnológica da indústria brasileira já não é mais preciso anotar em papel o tempo que uma máquina ficou parada. Ou a quantidade de peças com defeitos que uma mesma máquina produziu durante um mês. A maioria das empresas do setor industrial já têm essas informações em grande quantidade no formato digital. Boa parte das indústrias também já definiu quais são os seus principais indicadores, os KPIs (Key Performance Indicator) de produtividade, qualidade e custos de produção.   Mas o mau uso destes dados, que nem sempre são confiáveis pela forma como foram coletados no chão de fábrica ou na visualização imprecisa e vagarosa destas informações, pode complicar, ao final de um longo processo, a implantação da indústria 4.0.  Os dados do setor industrial mostram o quanto é relevante dominar o processo de produção com soluções tecnológicas. Saiba mais sobre como o big data influi na produtividade da sua indústria nesse artigo em parceria com a Fundação CERTI. Aprese

12/05 Finep e MCTI publicam estudo com panorama tecnológico sobre grafeno e a demanda por financiamento

Imagem
A Finep (empresa pública do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) e o MCTI acabam de lançar estudo que traz um panorama em relação ao Grafeno no tocante ao material em si, suas aplicações, desafios da indústria e o contexto brasileiro. Além disso, aborda as iniciativas recentes de políticas públicas que visam estimular a criação de conhecimento e novos negócios ligados ao nanomaterial e a materiais avançados. Está destacada a demanda de projetos que consideravam o tema grafeno – iniciativas de Finep, MCTI e CNPq – com total de investimentos que atinge R$ 133 milhões. No artigo, também foram disponibilizados os resumos publicáveis e objetivos das propostas recebidas. “Esperamos que essa publicação contribua com uma visão geral do tema, seja para pesquisadores, executivos do setor privado ou formuladores de políticas públicas”, diz Henrique Vasquez, Gerente do Departamento de Química, Metalurgia e Materiais da Finep, que assina o artigo com Felipe Bellucci, Coordenador-Geral de

UCSGRAPHENE dá início a testes com parceiro de negócios que podem resultar em ampliação da planta fabril

Imagem
Desde que o UCSGRAPHENE começou a utilizar o reator de dispersão para transformar o grafeno em soluções líquidas, na metade do ano passado, o mercado ficou de olho na tecnologia inédita. As novas aplicações do material de alta resistência vêm sendo desenvolvidas pela unidade de nanotecnologia da UCS em parceria com a Zextec. No final do ano passado, foi firmada uma parceria de seis meses entre uma grande empresa brasileira e o centro de pesquisa para desenvolver projetos conjuntos. Os primeiros testes em lubrificantes na sede da empresa interessada estão começando agora.  De acordo com o diretor da Zextec, Hugo Sousa, se os testes na indústria comprovarem o que as análises preliminares em Caxias do Sul já mostraram, as perspectivas de negócios são tão animadoras que poderiam demandar investimentos em ampliação da capacidade de produção.  Você poder ler reportagem na íntegra no site Gaúcha ZH através do link abaixo https://gauchazh.clicrbs.com.br/pioneiro/colunistas/babiana-mugnol/notic