Postagens

Cientistas criam tatuagem de grafeno que monitora pressão arterial

Imagem
Desenvolvida por pesquisadores da Universidade do Texas em Austin, nos Estados Unidos, o material trata-se de uma tatuagem eletrônica de grafeno, que pode permanecer no pulso por horas. O artigo  foi publicado na revista científica Nature Nanotechnology e apresenta uma solução confortável e ótima precisão para medições contínuas da pressão arterial em ambientes não clínicos (ambulatoriais).  Chamado de e-tattoo, a "tatuagem" de grafeno é fina, autoadesiva, leve e discreta, funcionando como uma interface bioeletrônica humana. Através dela, a aferição da pressão arterial pode ser feita em qualquer tipo de situação, de momentos de alto estresse até o sono profundo. Além medir de forma não invasiva e precisa (desempenho equivalente ao Grau A), o vestível pode ser usado por mais de 300 minutos, dez vezes mais que o relatado em estudos anteriores. Segundo Deji Akinwande, professor da UT Austin e um dos líderes da pesquisa, “a pressão arterial é o sinal vital mais importante que voc

Cientistas criam material promissor para nova geração de dispositivos

Imagem
Uma equipe de investigadores da Universidade de Coimbra (UC) em Portugal desenvolveu um nano compósito de metal líquido revestido de grafeno, que pode ser usado como condutor transparente, com aplicações na próxima geração de dispositivos eletrônicos e painéis solares. O novo material e o seu método de fabricação representam um passo importante para a aplicação e desenvolvimento de ecrãs flexíveis e resistentes, painéis solares flexíveis e até biossensores wearable. Num estudo publicado na revista Advanced Materials Technologies, os cientistas demonstraram que nanopartículas de metal líquido revestidas de óxido de grafeno podem ser transformadas em elétrodos semitransparentes e condutores, através de uma técnica de processamento a laser rápida, de baixo custo e escalável.   Os investigadores acreditam que, no futuro, estas nanopartículas com propriedades especiais poderão ser impressas em grandes superfícies condutoras, a baixo custo.   As partículas de metal líquido encaps

Brasil na primeira comparação interlaboratorial em nível mundial sobre grafeno

Imagem
O Inmetro participou da primeira comparação interlaboratorial em nível mundial sobre grafeno. A iniciativa servirá de base para elaboração de nova norma internacional em desenvolvimento na ISO Este projeto, liderado pelo NPL (Instituto Nacional de Metrologia do Reino Unido) em colaboração com o Inmetro e NIST (EUA), contou com a participação de 17 laboratórios de todo o mundo, representando Institutos Nacionais de Metrologia, Universidades, Centros de Pesquisas e Indústria. Os resultados da primeira comparação interlaboratorial internacional para medição de propriedades de grafeno, realizada dentro do escopo do VAMAS (Versailles Project on Advanced Materials and Standards), foram publicados na revista 2D Materials.  O procedimento servirá de base para a elaboração de uma nova norma internacional em desenvolvimento na ISO, que subsidiará a obtenção de dados mais confiáveis e fornecerá padrões de medição mais precisos para a indústria global de grafeno. A comparação interlaboratorial apr

Taurus anuncia lançamento da primeira arma com grafeno do mundo

Imagem
 A Taurus (TASA4) lançou, em seu canal do YouTube, a primeira arma do mundo com grafeno. A chegada da pistola GX4 Graphene marca o início da terceira geração do equipamento para a companhia. Entre as vantagens do grafeno, a empresa disse que é capaz de proporcionar menor desgaste, maior proteção contra corrosão, dissipação de calor mais rápida (necessária por conta do disparo da munição), melhor hidrofocidade e propriedade anti-fingerprint que reduz as impressões de manuseio. Salesio Nuhs, CEO da empresa, explicou que a primeira geração de armas eram feitas na versão metálica. Já a segunda, na década de 80, passaram a ser produzidas em polímero. A comercialização das novas pistolas para os militares, policiais, CACs e civis que integram categorias autorizadas a adquirir estes produtos, conforme legislação vigente, serão feitas em lojas revendedoras e no portal de vendas da Taurus. “O grafeno é o futuro para inúmeras áreas, incluindo a indústria de armas. Além de ter valor agregado, des

Bateria a base de grafeno usa umidade do ar para autocarregar

Imagem
Está em desenvolvimento pela empresa australiana Strategic Elements, com a University of South Wales (UNSW), uma bateria flexível e autocarregável que pode coletar energia elétrica da umidade do ar. O conceito de bateria, pode gerar apenas uma pequena quantidade de eletricidade por enquanto, mas já é o suficiente para carregar wearables, como os smartwatches.  Um protótipo deve ser apresentado até o final do ano, segundo a empresa. Eles também querem dimensionar as baterias para gerar mais energia, algo na faixa de um power bank (4.000 a 10.000 mAh). Segundo o estudo, um par de eletrodos é ligado a uma “camada funcional” hidrofílica de óxido de grafeno. Quando há um gradiente de umidade significativo entre os dois lados do dispositivo, um lado começa a absorver moléculas de água do ar. Isso coloca em movimento um processo que libera íons de hidrogênio ou hidrônios carregados. Quando os hidrônios começam a se concentrar mais no lado úmido da camada funcional, eles passam a migrar para o